XIXI GOSTOSO (SEM CULPA)

11/10/2019 by in category Textos tagged as with 0 and 0

Um homem encontra com um amigo. O amigo diz: “Você sumiu!” O homem responde: “Estive ocupado fazendo terapia”. O amigo pergunta: “Por que? O que aconteceu?”. O homem explica: “Tive síndrome de pânico! Imagina só, depois de adulto, voltei a fazer xixi na cama!”. O amigo exclama: “Nossa, sério isso!?”. O homem diz: “Sim, sério, mas já recebi alta.” O amigo pergunta: “Não está mais fazendo xixi na cama?”. O homem responde: “Sim, continuo fazendo xixi na cama, mas agora estou fazendo xixi gostoso!”

Se você não entendeu a lição terapêutica dessa piada, vá até o supermercado e compre uma barra de chocolate. Abra e coma. Enquanto estiver degustando o chocolate, se pergunte: “Para que serve comer chocolate?”. Quanto mais você se indagar, mais irá descobrir que comer chocolate não serve para nada. Comer chocolate não enche seu corpo de vitaminas e nutrientes, não faz você decorar a tabuada, não arruma a casa, não faz o almoço, não lava os pratos, não limpa o chão, não faz você arranjar um emprego melhor, não aumenta seu salário, nem paga suas contas. Enfim, comer chocolate, assim como fazer sexo, ouvir música, dançar, contar piada, jogar baralho e mijar gostoso, são atividades absolutamente inúteis.

Você não executa atividades inúteis por necessidade ou meio para chegar à próxima atividade. Atividades inúteis não são pontes, são fins em si mesmas. Você come chocolate para experimentar exatamente o que está executando: o prazer de comer chocolate. Você faz sexo para experimentar exatamente o que está executando: o prazer de fazer sexo. Você ouve música para experimentar exatamente o que está executando: o prazer de ouvir música.

Atividades inúteis não servem para nada, só servem para você experimentar o prazer de executá-las. Esse é o problema! O mundo é uma máquina utilitarista. Você, consciente ou não, é uma engrenagem dentro dessa máquina. Então, não há espaço para engrenagens inúteis, nem tempo a perder. Por isso, tudo que você gosta é ilegal, imoral ou engorda. Aos olhos da mentalidade utilitarista, qualquer atividade com fim em si mesma é inútil.

Só que você não é apenas uma engrenagem social. Você precisa se alimentar de prazer, assim como precisa respirar, beber água e comer comida. Você precisa executar atividades inúteis muitas vezes, repetidas vezes, diariamente. Não é a toa que depois do trabalho você vai para o bar jogar conversa fora. Inutilidade é vital. Senão você enlouquece. Senão fica insuportável rodar na máquina utilitarista. Melhor morrer, concluem os suicidas.

Então, se você não quer enlouquecer, nem chegar ao ponto de achar melhor morrer, sugiro abandonar a crença de que você tem que ser útil para ser feliz. Se fosse assim de fato, as crianças seriam os seres mais deprimidos do mundo, não os adultos. Óbvio que essa crença é um equívoco. A felicidade das crianças vem justamente da inutilidade, tanto de suas atividades, como de si mesmas para a máquina social.

Quando você acredita que tem que ser útil para ser feliz, tudo que você consegue é sentir prazer com culpa. Para que continuar acreditando nisso? Qual é a utilidade? Que tal abandonar essa crença e fazer xixi gostoso?

“Come chocolates, pequena, come chocolates! Olha que não há mais metafísica no mundo senão chocolates. Olha que as religiões todas não ensinam mais que a confeitaria. Come, pequena suja, come! Pudesse eu comer chocolates com a mesma verdade com que comes! Mas eu penso e, ao tirar o papel de prata, que é de folha de estanho, deito tudo para o chão, como tenho deitado a vida.” (Trecho do poema Tabacaria, de Fernando Pessoa)

© 2018 · 1FICINA · Marcelo Ferrari