*Os livros estão na ordem de leitura recomendada.

Todos nascem sabendo

18/03/2019 by in category Ciência do óbvio, Textos tagged as , with 0 and 0

O ditado popular diz que ninguém nasce sabendo. Isso é um equívoco. Todos nascem sabendo. Não apenas seres humanos, mas todos, vegetais, minerais e animais. Claro que você não nasce sabendo andar, falar português, nem nada do que aprende depois que nasce. Mas se você não nascesse sabendo, como saberia que nasceu? E mais! Como saberia que não sabe das coisas?

O que você aprende depois que nasce, não é saber, é sabedoria. Andar é sabedoria, falar português, é sabedoria. Você pode aprender infinitas sabedoria, desde fazer tricô a dar um salto duplo mortal carpado, mas é impossível aprender a saber. Se fosse possível, bastaria matricular um cego em um curso de ótica e ele começaria a enxergar.

Saber é senciência, capacidade perceptiva inata de todo ser. Saber é anterior ao que você está sabendo. Por isso que toda experiência passa e o saber permanece. Saber é sua própria natureza existencial. Você é saber. Só que você não sabe que você é saber. Você ignora sua natureza existencial. Por quê?

Imagine que você fosse incapaz de fechar os olhos, o que aconteceria?

(1) Você confundiria o que você está enxergando (o visto) com a visão.
(2) Você não saberia o que é enxergar porque não saberia o que é não enxergar.

Analogamente, é impossível para você não saber. Por isso:

(1) Você confunde o que está sabendo (sabedoria) com o saber.
(2) Você não sabe o que é saber porque não sabe o que é não saber.

Resumindo, você ignora que nasce sabendo porque nasce sabendo.

© 2021 • 1FICINA • Marcelo Ferrari