SOFRENDO À TOA

29/11/2019 by in category Textos tagged as with 0 and 0

Conta a história, que Sidarta Gautama, mais conhecido como Buda, passou anos meditando debaixo de uma figueira até atingir a iluminação. A não ser que você queira fazer o mesmo, vou te contar o que ele descobriu em duas palavras: viver dói. Esse ensinamento é conhecido no budismo como primeira nobre verdade.

Óbvio que viver dói, né? Verdade verdadeira. Só que você não aceita isso. Você insiste em acreditar que viver bem é vida boa (vida sem dor). Não existe vida sem dor. Viver dói poooorra! Às vezes dói pouquinho. Às vezes dói mazomenos. E às vezes dói pracaraio. Se Sidarta conhecesse as gírias da nossa época, a segunda nobre verdade seria: aceita que dói menos.

Aceitou? Ótimo! Só que Sidarta não explicou tudo. Talvez porque ninguém tenha entendido a primeira explicação. Faltou explicar que a dor é o mestre. Isso mesmo! O mestre não é Jesus, não é Buda, não é Maomé, não é o guru da barba azul. O mestre é a dor, o sofrimento, o desconforto, a insatisfação, a contrariedade, o desagrado, etc.

Todo ser vivo sofre. Isso não é aleatório, é regra do jogo. Sofrimento é o professor que te ensina a jogar bem o jogo. É fundamental você ficar consciente disso para aproveitar a razão de ser do seu sofrimento e extrair aprendizagem dele. Senão, tudo que você já sofreu e ainda irá sofrer, será apenas sofrimento à toa.

© 2018 · 1FICINA · Marcelo Ferrari