Qual é a importância da arte e seus benefícios?

26/05/2020 by in category Perguntas tagged as with 0 and 0

Primeiro é preciso entender que importância e benefício nunca é da coisa ou atividade em si. Uma coisa ou atividade pode ser importante e benéfica para você e desimportante e maléfica para o outro. Comer açúcar, por exemplo, é benéfico para um atleta e maléfico para um diabético. Estudar anatomia é importante para um médico e desimportante para um arquiteto. E assim por diante. Importância e benefício é particular. Além de particular é circunstancial, como tudo na vida. Mas não vou entrar nessa questão agora, fica apenas o apontamento.

Dito isso, eu divido a arte em três fases. É uma pedagogia de entendimento minha. Uso comigo. Me ajuda a evitar rotineiros conflitos que acontecem nas conversas sobre esse tema. Vou explicar quais são as três fases da arte e falar um pouco de cada uma. Espero com isso responder sua pergunta.

FASE UM: PRODUÇÃO ARTÍSTICA

A fase um da arte é exclusividade do artista. Por exemplo, quando um compositor está sozinho no quarto compondo uma canção, ele está executando a fase um. Mas não precisa ser um grande profissional para executar a fase um. Quando uma criança está desenhando em uma folha de papel sulfite com lápis de cor, ela também está executando a fase um.

Produzir arte é terapêutico porque a obra espelha o autor. Minha mãe, por exemplo, quando escuta uma música minha ou lê algum dos meus poemas, é capaz de dizer a que parte da minha história aquela música ou poema se refere. Ela é capaz de fazer isso porque conhece o autor e a obra espelha o autor. Todo verdadeiro artista sabe disso e usa sua produção artística como divã, como terapia, como processo de autoconhecimento.

FASE DOIS: EXPOSIÇÃO DA PRODUÇÃO ARTÍSTICA.

A fase dois não envolve necessariamente o produtor da obra artística. Alguns produtores são expositores também. Mas o produtor artístico pode simplesmente ficar só na fase um e terceirizar a fase dois. Quando um escritor entrega uma peça de teatro para o diretor, por exemplo, é isso que ele está fazendo, terceirizando a fase dois. Quando um compositor entrega sua composição para um intérprete ou um maestro, também. A maioria dos músicos e atores são artistas de fase dois, eles não produzem a obra artística, eles a expoem.

Expor uma obra artística pode ser muito terapêutico também, pois para dar vida a obra, o artista expositor incorpora e vivencia em si um tema de auto análise proposto e iniciado pelo autor da obra que ele está expondo. O mundo artístico é cheio de grandes artistas expositores. Cantores, músicos, atores, etc. Muitos relatam o aspecto terapêutico da exposição artística.

FASE TRÊS: CONSUMO DA PRODUÇÃO ARTÍSTICA

A fase três da arte é a que todos executam de uma forma ou de outra, em maior ou menor intensidade. Na fase três, você não precisa ser nem produtor, nem executor, basta ser humano. Quando você liga o rádio para ouvir música, você está executando a fase três. Quando você liga a televisão para assistir um filme, você também está executando a fase três. Críticos de arte são consumidores especializados na execução da fase três.

Consumir uma obra artística pode ser muito terapêutico também, pelo mesmo motivo da fase dois. Ao consumir uma obra artística você também incorpora e vivencia em si um tema de auto análise proposto e iniciado pelo autor da obra.

Entendida as três fases, fica fácil de perceber que a arte, seja na fase um, dois ou três, proporciona efeito terapêutico em quem a está executando. Eu executo as três fases e recomendo a execução das três. Para mim as três são importantes e benéficas.

© 2020 · 1FICINA · Marcelo Ferrari