PARADOXO DA COMUNICAÇÃO

10/03/2019 by in category Textos tagged as with 0 and 0

Conta a história que Newton cochilava debaixo de uma macieira quando uma maçã caiu e atingiu sua cabeça. Um acontecimento trivial, mas que, justamente pela trivialidade, acabou levando o cientista a despertar para a força da gravidade. Despertar é sempre assim, obra do susto, coisa que acontece pela benção do espirro do santo. Num momento estamos dormindo, empanturrados pela rotina e, de súbito, a mesma rotina cai feito maçã sobre nossas cabeças mudando tudo sem mudar nada.

— Quem gostaria de compartilhar? — ele perguntou.

Uma tonelada de palavras não seria suficiente para expressar o que tinha para dizer. Uma estranha consciência havia nascido dentro de mim, cristalina, lúcida, trivial, mas profundamente incomunicável. — A maçã caiu! — Eu declarei — Não chacoalhei o galho nem cobicei a maçã. Simplesmente caiu como um quadro que cai da parede depois de ter permanecido no mesmo lugar durante anos. Não sei porquê caiu. Sei que caiu. Sei! É óbvio.

— Alguém mais quer compartilhar? — ele disse.

Olhei ao redor. Ninguém parecia interessado em minha descoberta. Meu espanto era só meu. Minha declaração era apenas uma rotina de palavras, igual esse texto, igual toda informação. Foi então que tive outra eureka: comunicação só é possível quando não é mais necessária.

© 2018 · 1FICINA · Marcelo Ferrari