MOTORISTA REVOLTADO

23/05/2020 by in category Textos tagged as with 0 and 0

Um motorista vinha dirigindo seu carro por uma estrada vazia no meio da noite. De repente, o pneu furou. O motorista parou o carro e foi pegar o macaco no porta malas para trocar o pneu. Só que não encontrou o macaco. Não tinha macaco no carro. Então, ele viu a luz de uma casa acesa. Ele pensou que talvez, naquela casa, podia morar uma pessoa que tivesse um carro e pudesse lhe emprestar o macaco. O motorista começou a andar rumo a casa com a luz acesa. No caminho, começou a pensar no dono da casa. Talvez fosse uma pessoa desconfiada. Talvez fosse pensar que ele era um ladrão. Talvez não acreditasse na história do pneu furado e do macaco.

Daí, ele começou a ficar revoltado com o dono da casa e brigar mentalmente com ele: “Eu não sou ladrão, nem estou mentindo! O pneu do meu carro furou de verdade! Olha meu carro lá! Não tenho macaco! Está de noite! Ninguém para ajudar! Como que você me julga assim?… blábláblá…”. Quando o motorista bateu na porta da casa, o dono veio atender. Assim que a porta abriu, o motorista começou a berrar com o dono da casa: “Escuta aqui seu filho da puta! Não sou ladrão porra nenhuma! Vim pedir seu macaco emprestado. Mas quer saber? Enfia o macaco no cu!”

Riu da piada? E se lhe disser que você é o motorista e todas as pessoas com quem convive são o dono da casa, vai continuar rindo ou vai começar a chorar? Pois é! A única certeza que você pode ter sobre o outro é que você não tem como saber pelo outro. E o único jeito de saber é através da comunicação. Então, se quer conviver bem, não suponha o que o outro está sentindo, pensando e querendo: pergunte. Execute a comunicação ao invés da suposição.

Ruim com comunicação, pior sem.

© 2020 · 1FICINA · Marcelo Ferrari