Imprimir / PDF

A função desse manual é dar dicas para que você se prepare (pelo menos o mínimo) para ter um bom aproveitamento do ciclo de estudos EUreka. A primeira dica é que, por mais que eu fale sobre o poder transformador dos conteúdos da 1ficina e sobre o que acontece no ciclo de estudos, essas explicações não chegam nem perto da realidade. Eu posso falar, e falar, e falar, e não terei expresso nem 1% da realidade. Quando você entrar em contato com os conteúdos da 1ficina e chegar ao final do ciclo de estudo (se chegar), irá se lembrar do que estou falando agora e concordar comigo.

Já estive no seu lugar de aluno, então, antes de começar esse ciclo de estudos, vou te contar o que você está buscando e por que. Vou te explicar isso de uma forma simplificada, assim como um adulto explica coisas complexas para uma criança.

O que você está buscando não é autoconhecimento, nem sabedoria, nem iluminação, nem despertar da consciência, nem espiritualidade, nem evolução, nem empoderamento, nem transformação pessoal, nem qualquer outra coisa, senão: fe-li-ci-da-de.

Se eu te perguntar se você prefere autoconhecimento, sabedoria, iluminação, despertar da consciência, espiritualidade, evolução, empoderamento, transformação pessoal ou felicidade, é óbvio que você irá responder que prefere felicidade. Afinal, de que adianta tudo isso sem felicidade? Não adianta nada.

Mas tem um porém. Para viver mal, ignorância basta, para ser feliz, só com autoconhecimento. “Não tem outro jeito, Ferrari? Nem ficando rico?”, você pode me perguntar. A resposta é não! Dinheiro pode comprar conforto e prazer, mas não compra felicidade. Se dinheiro comprasse felicidade, ricos não tinham depressão, não viviam mal, não sofriam.

Seu nível de felicidade é diretamente proporcional ao seu nível de autoconhecimento. Felicidade não tem nada a ver com riqueza, com status, com erudição, com fama, etc. Felicidade tem a ver apenas com seu nível de autoconhecimento. Se o seu nível de autoconhecimento é 5.73, sua felicidade é 5.73. Se o seu nível de autoconhecimento sobe para 5.78, sua felicidade sobe para 5.78.

Você busca a felicidade, mas é impossível ser feliz sem autoconhecimento, assim como é impossível ser um pintor sem visão, ou ser um músico sem audição. Então, você veio aqui procurar alguém que já tem autoconhecimento para te ajudar a ter também e, consequentemente, encontrar o que busca desde que nasceu: felicidade.

Isso te coloca na desagradável posição de aluno. Para você entender o motivo dessa posição ser desagradável, vou dividir a palavra aluno em duas partes: (a) sem e (luno) luz. Usando essa lógica, aluno é sem luz, ou seja, sem LUcidez. Você é um aluno porque você ainda não sabe o que você é, o que é ser humano. Você não tem autoconhecimento.

Mas até aí, tudo bem. Não saber de si é desagradável, mas nem tanto. O desagradável mesmo é que você pensa que sabe. Tem o “saber” e tem o “acreditar”, são diferentes. Quem acredita, não sabe, acredita (pensa que sabe). Você não sabe de si por consciência própria, você apenas acredita em crenças religiosas, filosóficas, espiritualistas, etc.

Resumindo, sua ignorância é dupla. Além de você ignorar o que é ser humano, você ignora que ignora. Imagine uma pessoa que não sabe o que é salmorejo, mas pensa que sabe. A ignorância dela é dupla. Além de ignorar o que é salmorejo, ignora que ignora. E quanto mais ela continuar achando que sabe, mais vai continuar na ignorância.

Mas até aí, tudo bem também. Viver em estado de dupla ignorância é desagradável, mas nem tanto. O principal motivo para a posição de aluno ser desagradável, é que aluno é alguém que decidiu sair do estado de ignorância. Não existe aluno antes dessa decisão. Antes dessa decisão existe apenas o estado de ignorância dupla.

“Você não tem culpa de ignorar, você tem culpa de continuar na ignorância”. Essa é uma frase emblemática da 1ficina. Você nasce em estado de absoluta ignorância. Ignorar não é culpa sua. Permanecer na ignorância é, pois trata-se de uma decisão. Você pode sair da ignorância se decidir sair.

Mas como sair da ignorância, se você nem sabe que não sabe? É preciso que algo ou alguém desperto, lúcido, consciente, deixe explícito, óbvio, ululante, que você está equivocado. É preciso que algo ou alguém esfregue sua ignorância na sua cara. Senão você continua na ignorância.

Esse algo é o ciclo de estudos EUreka. A cada passo que você avançar no ciclo de estudos EUreka, vou esfregar sua ignorância na sua cara, um pouco mais, um pouco mais, um pouco mais… Até você abandonar o diploma de sabe-tudo e assinar o atestado de ignorante. Chegamos então ao derradeiro entendimento da desagradável posição de aluno, principalmente no começo, que você está cheio de bagagem intelectual (ignorância Phd).

Decidir ser aluno é pedir para apanhar. Você está aqui para levar uma surra. Cada livro, cada passo, cada interação minha com você, tem apenas um propósito: esbofetear sua consciência adormecida. “Acorda! Acorda! Acorda!”.

Se você espera outra coisa do ciclo de estudos EUreka, aproveite esse alerta e cai fora agora. Se você deseja continuar pensando que sabe, não perca seu tempo com esse ciclo de estudos, nem faça a 1ficina perder tempo com você. O ciclo de estudos EUreka não tem nada para te dar além de socos, tapas e pontapés na sua consciência adormecida.

Se você quiser (sair da ignorância) e vier pro que der e vier, dá play no áudio abaixo e seja bem vindo!

Autoconhecimento é uma jornada do ponto A até o ponto B, mas não é uma jornada de deslocamento. Você não viaja de carro, nem de avião para chegar no autoconhecimento, é uma jornada consciencial. O ponto A da jornada é o estado de ignorância, adormecimento, inconsciência sobre o que é ser humano. O ponto B e o estado desperto, consciente. Eis o problema.

Você já é um ser humano, então, você acredita que já sabe. Mais do que acredita, tem convicção. Tanta convicção que até dá conselhos. Só que você não sabe. Você pensa que sabe. Se você soubesse mesmo, não vivia mal. Viver mal é a prova de que você não sabe o que é ser humano. E pior! Além de não saber, você não sabe que não sabe. Você ignora que ignora. Mas como você pensa que sabe, conclui: “Por que vou me dar ao trabalho de descobrir o que já sei?”. Eis como seu autoconhecimento termina antes de começar.

Você é um aluno que acredita que é professor. Eu chamo isso de ignorância Phd. O problema da ignorância Phd é o mesmo de acreditar que você sabe pilotar um avião quando, de fato, ignora. É por isso que você vive mal. É impossível viver bem em estado de ignorância. E como sair da ignorância Phd? O primeiro passo é admiti-la.

Teve uma época que frequentei um trabalho espiritualista. Eram palestras com grupos pequenos, entre 15 a 20 pessoas, então, podíamos interagir diretamente com o professor. Com o tempo, fiquei íntimo do professor. Então, de repente, ele começou a me chamar de “sábio”. Por um lado, achei o máximo. “Até que enfim alguém me reconheceu!” pensei. Mas quando a esmola é demais o santo desconfia. Desconfiei, mas fiquei na minha.

O professor continuou me chamando de sábio. Sábio pra lá, sábio pra cá. Às vezes, alguém fazia uma pergunta e ele encaminhava para mim: “O que você acha, sábio?”. Eu papagaiava um monte de conceitos filosóficos, psicológicos e espiritualistas.

Muito tempo depois, fui acompanhar esse professor em uma palestra. Nesse dia, tinha uma pessoa participando da palestra que era tipo sabe-tudo. De repente, o professor começou a chamar essa pessoa de sábio. Putz! Lembrei dele fazendo o mesmo comigo e a ficha caiu! Quando o professor me chamava de “sábio”, não estava elogiando minha sabedoria, estava apontando minha ignorância Phd. Eu não sabia, eu pensava que sabia.

Entendeu, sábio?

Um barco ficou à deriva em alto-mar. Veio um mecânico que cobrava mil reais e passou uma semana mexendo no motor, mas não resolveu. Veio outro mecânico que cobrava cinco mil reais e passou um mês mexendo no motor, mas não resolveu. Veio outro mecânico que cobrava dez mil reais e passou um ano mexendo no motor, mas também não resolveu.

O capitão decidiu chamar o melhor mecânico do mundo, custasse o quanto custasse. O tal mecânico chegou e examinou o motor durante um minuto. Depois, pegou um martelo e deu uma só martelada numa peça. O motor voltou a funcionar imediatamente.

O capitão ficou muito contente com o conserto, mas na hora de pagar, levou um susto. O conserto custou cem mil reais. Indignado, o capitão foi reclamar com o mecânico:

“Cem mil reais por uma martelada!!!!”.

O mecânico respondeu:

“Não! A martelada custa só um real. Saber onde martelar é que custa 99.999 reais″.

Suponho que você já fez de tudo para consertar sua vida. Vou te dar uma martelada grátis. Seu fracasso não é falta de vontade, é falta de autoconhecimento.

Viagem tem dois sentidos: ida e volta. A experiência humana é semelhante, ou você está subindo no cavalo, ou você está caindo do cavalo. Subir no cavalo é adormecer na ignorância de si e do que é ser humano. Cair do cavalo é cair em si e despertar para o que é ser humano. Subir no cavalo é tão fundamental como cair do cavalo. Não dá para colocar a queda na frente da subida. Primeiro é preciso esconder o tesouro para depois brincar de caça ao tesouro. Atualmente você está despertando para si mesmo e para o que é ser humano, ou seja, você está caindo do cavalo. Entregue, confie, aceite e agradeça. A viagem do despertar é a volta dos que não foram. Caia do cavalo e celebre seu fracasso!

Não sou formado em filosofia, nem psicologia, nem nada. O que me capacita para a função de professor do ciclo de estudos EUreka, é que sei praticar autociência e sou um praticante dedicado. Quanto mais prático autociência, mais consciente fico sobre o que é ser humano. Os conteúdos da 1ficina sou eu explicando o que em mim é óbvio para mim. Sendo que você também é um ser humano, o que explico serve para você.

Não sei quem é você. Mas sei que você é um ser humano igual eu, e que, ao decidir participar desse ciclo de estudos, consciente ou não, me escolheu para ser seu professor. Por isso, saiba que meu compromisso com você durante todo o ciclo de estudos EUreka, é honrar sua escolha.

A maneira como vou fazer isso é sendo o melhor professor de autociência que posso ser. Mas quando digo “melhor professor”, não estou dizendo que vou ser bonzinho. Não estou dizendo que vou te paparicar. Nada disso. Muito pelo contrário. Eu vou ser o demônio, o capeta, o diabo. Sou um professor de autociência, minha função é te ajudar a se esclarecer sobre o que é ser humano. Nesse sentido, dar o melhor de mim, é me esforçar ao máximo para destruir sua ignorância Phd.

Você é um ignorante Phd. Só que você adora suas crenças equivocadas. São crenças de estimação, cultivadas com muito carinho e dedicação por anos e anos. Algumas, desde seu nascimento. Dar o melhor de mim como professor de autociência, implica em te ajudar a desmascarar essas crenças equivocadas, para que se liberte delas. Para te ajudar com isso, eu preciso esbofetear, socar e martelar seus equívocos. Isso não é agradável. Dói.

Quanto mais inconsciente você estiver dos seus equívocos, mais irá doer. E quanto mais doer, mais voce irá pensar que não estou cumprindo com minha promessa de melhor professor. Você pensará: “O Ferrari falou que iria me honrar como aluno e agora está batendo em mim”. Você ficará com raiva de mim. Raiva é pouco! Você ficará furioso e magoado. E provavelmente, assim como a maioria dos alunos, você irá sair do ciclo de estudos só para me mostrar que o errado sou eu.

Se você sair, não irei me alegrar. Eu sei que dói receber marteladas na cabeça, e que, para evitar a dor, seu instinto de proteção é fugir do martelo (sair do ciclo de estudos Eureka). Mas nem por isso vou deixar de bater com o máximo de força. Ao contrário do que parece, martelar seus equívocos, sou eu honrando você ter me escolhido como seu professor. Se eu te mimar e ficar batendo palmas para os seus equívocos, não estarei te ajudando, estaria apenas alimentando o que te faz viver mal.

Você chegou até aqui por interesse. Provavelmente você ouviu alguém lhe dizendo assim: “Tem um curso lá, vai lá, entra lá, vai lá ver, etc”. Isso é interesse. Interesse não irá leva-lo até o autoconhecimento e, consequentemente, até a felicidade. Interesse é bom para começar. Mas interesse é igual paixão, é fogo de palha.

Se você quer mesmo produzir autoconhecimento, você precisa de absoluto comprometimento. A-b-so-lu-to comprometimento. E não é absoluto comprometimento com a 1ficina, ou comigo, é absoluto comprometimento com a prática da autociência.

Para você entender a diferença entre interesse e comprometimento, vou usar uma metáfora. No café da manhã você come ovos com bacon. A galinha está envolvida com o seu café da manhã, porque a galinha botou o ovo. O porco está comprometido, pois ele teve que morrer e dar a pele. Essa é a diferença entre interesse e comprometimento.

Absoluto comprometimento significa praticar autociência 25 horas por dia, 8 dias por semana. Absoluto comprometimento significa que ao invés de encaixar a prática da autociência na sua vida, você encaixou sua vida na prática da autociência. Absoluto comprometimento significa que você decidiu virar os olhos do avesso e não desvirá-los jamais.

É você que está em estado de ignorância. É você que está vivendo mal e sofrendo. Então, para mudar essa situação, é você que precisa se comprometer com a prática da autociência. A função do ciclo de estudos EUreka é te ensinar a pescar e não te dar o peixe, te ensinar a andar e não te carregar nas costas, te ensinar a praticar autociência e não praticar por você.

Vou dar o melhor de mim como professor. Espero o mesmo de você como aluno. Mas minha experiência me diz que você não fará isso. Você não irá dedicar nem 10% do seu potencial e tempo aos estudos. Se você fizer a tarefa, é muito. Se você ficar até o final do ciclo, é quase um milagre. Mas será maravilhoso se você decidir dar o seu melhor. Não por mim. Não para me agradar. Você deve dar o seu melhor porque você mesmo irá ganhar com isso.

Quando você é o melhor aluno de autociência que pode ser, você recebe o melhor autoconhecimento correspondente. Eu e seus colegas nos beneficiamos com o seu melhor, mas o maior beneficiário é você. Se você faz o ciclo de estudos nas coxas, o que você recebe é autoconhecimento nas coxas. Imagina um músico que está tocando uma música de forma lastimável. Tal músico está se obrigando a ouvir aquela música lastimável por ser o primeiro ouvinte da música que está tocando.

Não seja um aluno medíocre. O único prejudicado com sua mediocridade é você mesmo. Eu não me prejudico se você for um aluno medíocre. Claro que não acho legal. Mas isso não me prejudica. Só prejudica você. Só você. Também não estou te cobrando excelência. Nada no EUreka é obrigatório, só a tarefa. Estou te dando uma dica valiosa de aproveitamento. Sugiro que aproveite essa dica para ter um excelente aproveitamento do ciclo de estudos.

A jornada do despertar da consciência é uma jornada do ponto A ao ponto B. Só que não é um deslocamento. O ponto A é o estado de ignorância e o ponto B é o despertar da consciência. Você não chega no despertar da consciência viajando de avião. Nem de carro. Nem a pé. Você sai do estado de ignorância (A) e chega ao despertar da consciência (B) viajando através da prática da autociência. Eureka é uma palavra que simboliza despertar da consciência. O ciclo de estudos de autociência da 1ficina se chama Eureka porque é uma jornada autocientífica rumo ao despertar da consciência.

Quando a 1ficina começou, eu apenas escrevia livros e publicava na internet. Não tinha ciclo de estudos. Eu conversava aleatoriamente com os leitores dos livros que eram pessoas de culturas diferentes e níveis diferentes de autoconhecimento. E conversava com todos juntos em um mesmo grupo de whatsapp. Daí, o que eu conversava com um atrapalhava o entendimento do outro. Era uma bagunça. Não tinha nenhuma pedagogia. Foi então que entendi que precisava construir uma escada pedagógica de ensino e ir subindo com as pessoas, do subsolo a cobertura, sem pular nenhum degrau do processo de despertar da consciência.

Todo processo de aprendizagem requer uma escada pedagógica. Quando você aprende matemática, primeiro você aprende os números. Depois você aprende tabuada. Não dá para começar aprendendo tabuada. Não dá para queimar etapas fundamentais. Queimar etapas de aprendizagem prejudica a aprendizagem, tanto no autoconhecimento como em qualquer outra aprendizagem. Mas é pior ainda no autoconhecimento, pois autoconhecimento não é uma aprendizagem, é um despertar consciencial.

Tive que sofrer muito para entender isso. Mas entendi. E foi a partir do momento que entendi, que comecei a construir o ciclo de estudos EUreka, tijolo por tijolo, parede por parede. O ciclo de estudos Eureka tem muitos degraus. E cada ano acrescento mais degraus. Quando eu percebo que o salto está muito grande para os alunos, construo um novo degrau e coloco no meio, entre os que já tem.

Menos é mais. Esse é o lema pedagógico do ciclo de estudos Eureka. Quanto menor o passo, melhor. Se você quer viver bem, não pode pular nenhum degrau na jornada do despertar da consciência. Sei que você tem pressa de chegar. Que acredita que pode pular passos. Que acredita que já sabe tudo e pode até dar aula no lugar do professor. Mas se isso fosse verdade, você não estaria vivendo mal como está. Então, minha dica é diminuir a ansiedade, baixar a bola e caminhar passo a passo.

Já faz tempo que você é um ser humano. Então, você já deveria saber o que é ser humano. Só que não sabe. Infelizmente, não sabe. Você só nasceu humano, mas não tem consciência sobre o que é ser humano. Daí, professores que nem eu, tem que vir te explicar o óbvio.

Um professor de autociência é uma pessoa vendendo água engarrafada na beira do rio. Ser humano é algo completamente disponível para você, 24 horas por dia, do nascimento até a morte. Só que ao invés de beber a água diretamente do rio a sua frente, ou seja, se conhecer através da prática da autociência, você prefere comprar água engarrafada com professores.

Sugiro que jamais faça isso com os conteúdos da 1ficina. Se você quer despertar a consciência, queime os livros e leia-se! Inclusive os livros da 1ficina. Use os livros da 1ficina apenas como combustível para prática da autociência. Você não é teoria. Não compre água engarrafada, beba direto da fonte.

Você vai ficar ansioso para pular etapas. Não faça isso. Se mantenha fixo no passo do momento. Quando chegar no próximo passo, daí você se preocupa com ele. Eu já cogitei fazer o ciclo de estudos EUreka sem responder nenhuma pergunta. Sem a parte da aula. Só com a leitura dos livros e as tarefas. Acredito que no fim do ciclo de estudos, ninguém teria nenhuma dúvida. E por que não? Porque o próximo livro sempre responde às dúvidas do livro anterior.

Mas se fizesse isso, acredito que o ciclo de estudos ficaria sem graça, principalmente para mim. É sua interação comigo que dá vida aos estudos. Então, nunca coloquei em prática essa ideia. Só estou te contando para considerar que até o final do ciclo de estudos, você irá entender tudo. No fim tudo se resolve. É sempre assim.

O ciclo de estudos EUreka dura 10 meses. Cada semana você dá um passo. Cada passo é um livro. Cada livro é um universo. Daria para passar um ano estudando cada livro. Dá para passar um ano estudando uma frase da 1ficina. Por exemplo, a 1ficina tem uma frase assim: “Com consciência tudo se resolve, sem consciência tudo se complica”. Dá para passar um ano estudando essa frase. Estudando o que é consciência, o que é ausência de consciência, porque consciência resolve, etc.

Então, uma semana para um livro, é muito pouco. É por isso que os veteranos voltam e refazem o ciclo de estudos. 10 meses passam voando. É muito conteúdo ofertado em muito pouco tempo de digestão. Se você não se concentra, quando termina, você fica com aquela sensação de que não pegou tudo que tinha para pegar. Se você faz nas coxas. Se você não se empenha em extrair o máximo que você pode a cada semana, é como se você perdesse um ano inteiro em uma semana.

O ciclo de estudos EUreka é igual montanha-russa, quando começa, não dá tempo nem de respirar. Você vira do avesso, se perde, não sabe mais onde é o pé e a cabeça. A velocidade é intensa, louca, frenética. É muita coisa para ficar consciente em muito pouco tempo. É um bombardeio de apontamentos. Você pisca e acabou. Dez meses passam voando. Então, fica esperto, senão, você não aproveita. E pior, acaba saindo.

Tem uma frase que uso para explicar o motivo das desistências: “Só sai quem nunca entrou”. Significa que o fato de você estar aqui não quer dizer que você realmente está aqui. Não adianta só entrar no grupo do ciclo de estudos. Para entrar no ciclo de estudos de fato, você precisa estar comprometido e acompanhando o ritmo dos estudos, senão, você sai porque nunca entrou, porque nunca se comprometeu.

Eu vejo isso acontecendo repetidamente e falo, não como censura, mas como alerta. É sempre assim, só sai quem nunca entrou. Quem entra mesmo, nunca sai. Gruda no trabalho da 1ficina igual sarna, pois sabe que não tem contra-indicação, que só produz benefício. Então, já que você chegou até aqui. Já que entrou no grupo. Aproveita e entra no ciclo de estudos também. Senão, você irá sair porque nunca entrou.

Faça uma coisa revolucionária. Dedique um ano da sua vida ao autoconhecimento. Um ano e nada mais. Um ano e você irá se agradecer pelo resto da sua vida. Um ano e você irá se livrar de sofrimentos que vem carregando nas costas por anos. Um ano olhando menos para televisão e mais para si. Dê esse presente para você: um ano sabático.

Faça do ciclo de estudos Eureka um divisor de águas na sua vida. Não será um ano perdido. Pelo contrário, você ganhará autoconhecimento e bem viver. Você irá se libertar de padrões recorrentes de maneiras que nem consegue imaginar. Será sensacional. Você não vai se arrepender.

Se você seguir essa dica, você vai me agradecer e se agradecer pela decisão. Se você não seguir essa dica, você vai se lastimar. E voltará no ciclo de estudos Eureka no ano seguinte, arrependido, dizendo que deveria ter seguido essa dica.

O ciclo de estudos EUreka acontece inteiramente através da internet. Mais especificamente através do Telegram. A comunicação pela internet é cheia de ruidos e obstáculos. Se você aumentar os obstáculos, daí o difícil fica impossível.

Então, nunca, jamais, em hipótese alguma, silencie seu Telegram. Eu preciso me comunicar com você. Se você silencia as notificações do Telegram, quando preciso conversar com você, como eu faço? Fica impossível.

Todo dia, duas vezes por dia, abra o Telegram e leia as mensagens. Porque se você não lê, também não adianta. Acordou! Olha no Telegram. Vai almoçar! Olha no Telegram. Antes de dormir! Olha no Telegram. Pelo menos para ver o que está acontecendo.

Autoconhecimento é ficar explícito para si. Então, é fundamental que você pratique se expor. Eu sei que esse é o maior desafio do aluno. Sei que aluno morre de medo de se expor. “O que vão pensar de mim! O professor vai rir de mim, etc”. Toda essa autocensura na orelha. Ignore a autocensura e exponha-se.

Tem uma frase da 1ficina que diz assim: “Quem não se coloca para fora continua preso por dentro”. Você quer continuar preso por dentro? Eu tenho certeza que não. Ninguém quer. Todo mundo quer ser o que é, espontaneamente. Então, exponha-se no máximo do seu limite e vai aumentando esse limite.

Não tenha medo de perguntar nada, nunca. “Ah, essa pergunta é besta!”, você pode pensar. Mas não existe pergunta besta. Se você tem uma pergunta, ela não é besta. Faça a pergunta. Deixa que decido se a pergunta é besta ou não. Não se reprima. Pergunte. Toda pergunta dá para ser aproveitada de alguma maneira.

O ciclo de estudos Eureka tem três fases: existencial, psicológica e convivência. O ciclo começa pela fase existencial, depois vai para a psicológica, depois vai para a convivência. Por que começa pela fase existencial? Porque não se constrói uma casa começando pelo telhado. Você é um ser humano. O alicerce do humano é o ser, a existência.

A maioria dos conteúdos de autoconhecimento na internet tratam de questões de convivência. Esses conteúdos fazem muito sucesso. Por quê? Porque de fato a convivência é tudo na vida. Você está o tempo todo na convivência. Todos seus problemas são problemas de convivência. Por isso esses conteúdos de convivência bombam na internet.

Só que não adianta você tentar entender a convivência e os problemas da convivência sem antes entender seu funcionamento psicológico e a natureza da sua realidade. A convivência é o telhado. Se você estudar a convivência sem antes estudar o existencial e o psicológico, você vai estar pulando etapas na jornada do autoconhecimento. Você vai estar querendo entender tabuada antes de aprender os números.

O alicerce do ser humano é o existencial. As paredes é o psicológico e a convivência é o telhado. É por isso que o ciclo de estudos EUreka começa pelo existencial. “Então, a convivência não é importante?”, você pode perguntar. Claro que é! A convivência é importantíssima. E você vai chegar lá. Mas sem pular etapas.

A parte existencial do ciclo de estudos é a fase mais longa. É ⅔ do ciclo de estudos. É na parte existencial que a 1ficina explica o equívoco do materialismo. Não é fácil sair do equívoco do materialismo. A maioria dos alunos fica perdido com a fase existencial porque o aspecto existencial do ser humano não é humano. O que eu te recomendo? Não abandone o ciclo de estudos Eureka devido à fase existencial. Aguente firme. Não desista. Quando chegar na parte psicológica e na parte da convivência, mesmo que você não tenha atingido a iluminação, valerá a pena. A parte psicológica e a parte da convivência é o seu dia a dia, você entenderá tudo.

Você não é igual, é diferente. Então, quando te tratar de forma diferente, lembre-se disso, eu estou tratando você de forma diferente, porque você é diferente. Não espere que eu trate você de forma igual. Trato cada um de forma diferente, porque cada um é diferente. Claro que leva um tempo até eu perceber o diferencial de cada um. Vou ouvindo as tarefas e vou entendendo como me comunicar melhor com um e outro. Se eu pegar no seu pé, tem algum motivo pedagógico para isso, pode ter certeza. Nunca é à toa. Eu não gasto energia à toa. Então, lembre-se: eu não trato os alunos todos iguais, eu trato todos diferentes.

O ciclo de estudos Eureka é uma oportunidade que tenho de melhorar o ciclo de estudos. Então, todo ano, faço muitas alterações. Tem livros que deleto, tem livros novos que escrevo e acrescento, faço diversas alterações no site. Enfim, eu me remexo muito. Então, não se espante se eu mudar tudo do dia para a noite. A vida é animada. E a realidade existe para ser mudada. Se a mudança for para melhor, pode ter certeza que vou mudar. “Ah, mas era assim. Você mudou!”. Pois é, mudei porque fica melhor assim. Eu me remexo muito. Se acostume com isso e fique ligado.

A única coisa obrigatória no ciclo de estudos é fazer a tarefa. Não vale nota. Não tem certificado homologado no final. Vale o despertar da consciência. Vale você sair do estado de ignorância. Aproveite! A tarefa é sua vez de falar. É o seu momento. Eu vou ouvir a sua tarefa. Vou ouvir com atenção. Meu ouvido será todo seu. Pode alugar meu ouvido, sem problema. Fala tudo que vier na sua cabeça. Você não precisa economizar kbytes. Aqui no Telegram é tudo de graça. O ciclo de estudos Eureka é de graça. Os kbytes são de graça. Você não precisa economizar tempo. Você não precisa economizar palavras. Quanto mais você fala, mais você se escuta. Isso é ótimo. Então, sem economia, porra.

A aula vem depois de entregar a tarefa. Primeiro você lê o livro da semana. Os livros da 1ficina são bem pequenos. Você lê em aproximadamente 10 minutos. Daí, você tem 5 dias para entregar a tarefa, que consiste em falar o que você entendeu da leitura do livro da semana. Por fim, tem a aula, para você conversar com o professor e tirar dúvidas. As aulas duram no máximo 2 horas e acontecem toda terça-feira, 20hs, no canal da 1ficina, no telegram.

Tem prazo para entregar a tarefa. Se você não faz a tarefa no prazo, eu te retiro do ciclo de estudos. Se você não se dá ao trabalho de fazer a tarefa, não vou gastar meu tempo com você. Você não está gastando seu tempo comigo, com o ciclo de estudos, com a 1ficina, então, também não vou gastar meu tempo com você.

Uma das coisas mais legais do ciclo de estudos Eureka é a interação entre 1ficineiros. É muito rico. Sempre. No final do ciclo de estudos, muitos dos participantes serão grandes amigos seus. Você não sabe disso ainda, mas serão? São 10 meses caminhando com os colegas, todos os dias, não tem como ser diferente. Você vai se divertir muito aqui. Fique à vontade. Vamos estudar e vamos nos divertir juntos. Quando for hora de diversão, vou zoar também. Quando for hora de ficar sério e prestar atenção, coordenarei para que isso aconteça. Mas enfim, aproveite a oportunidade de interação entre 1ficineiros.

PERGUNTAS

A 1ficina ensina a praticar autociência. Quando você pratica autociência, você produz autoconhecimento. Ou seja, autoconhecimento não se ensina, você mesmo produz através da prática da autociência.

Espero que não. Espero que permaneça sempre uma escola de autociência. Mas se ficar só na teoria, pode acontecer. A teoria do big bang, por exemplo, é cientifica, mas é uma religião. O que as pessoas fazem com os conteúdos produzidos pela 1ficina está além do meu arbítrio. A laranjeira dá laranja. A laranjeira não controla o que fazem com a laranja. Tem gente que faz suco de laranja, outros fazem doce, outros fazem guerra de laranja e assim vai. Não acredito que o trabalho da 1ficina irá atrair muitos interessados, pois o trabalho da 1ficina é muito prático, direto e implica em aceitar que o sofrimento é o mestre. Ao meu ver, nem em mil anos o ser humano estará preparado para cair de joelhos e se render ao sofrimento. Tem que piorar muito antes de melhorar. Vejo o trabalho da 1ficina plantando as primeiras sementes do futuro da autociência. No futuro será óbvio que todo conhecimento é autoconhecimento e a produção e compartilhamento de autoconhecimento será extraordinária, tipo uma coletividade de autocientistas. Mas ainda estamos muito longe disso. Atualmente a 1ficina faz o que pode com o que tem.

Não! Essa responsabilidade é sua.

A 1ficina encara tudo de frente, cabeça erguida e olhando nos olhos. Dito isso. “Ema, ema, ema, cada um com seus problemas!”. O que outras escolas, mestres, instrutores, gurus dizem, não é problema da 1ficina. O trabalho da 1ficina se baseia apenas nas explicações da 1ficina. Esse tipo de pergunta é muito frequente, pois quando calouros chegam aqui, estão cheios de bagagens. São informações acumuladas de diversas escolas, tradições e culturas. Essas informações ficam martelando dia e noite dentro da cabeça. Além de serem um fardo, são conflitantes e estressantes. Uma informação briga com a outra. É um inferno. Nada encaixa em nada. Ao invés de solução, paz e felicidade, que foi o motivo de se acumular tanta bagagem, só aumenta o sofrimento. O motivo de nada se encaixar, não é que nada se encaixa, é que você está desencaixado de si. Quando você está encaixado em si, tudo se encaixa em você. Com consciência tudo se resolve. Então, a 1ficina simplesmente ignora suas bagagens e coloca você para praticar autociência, que a única forma de você se encaixar em si.

A 1ficina nasceu no dia 07 de setembro de 2011. Conto a história da criação da 1ficina no livro Mayasang.

Autociência é a prática que produz autoconhecimento. Se você está produzindo autoconhecimento (em algum nível) é porque está praticando autociência (em algum nível). O aumento de autoconhecimento resulta em viver melhor. Se você está vivendo melhor, é sinal que está aumentando seu autoconhecimento.

Sou uma pessoa sem ambições materiais. Minha ambição é por sabedoria. Dito isso, não tenho filhos. Não ter filhos é uma circunstância que favorece muito trabalhar gratuitamente. Outro fator favorecedor é ser proprietário de um imóvel. Com a renda do aluguel, pago minhas contas, vivo bem, e principalmente, posso trabalhar com o que amo. Para terminar, trabalho gratuito em inglês se diz “free work”. O que dá um duplo sentido. A tradução literal é “trabalho livre”. É isso! Não trabalho gratuitamente, sou um free worker (trabalhador livre). Recomendo. Creio que esse é o futuro do trabalho.

Interesse é fome, ou tem, ou não tem. Você pode oferecer o banquete mais delicioso, se o outro não tem fome, não irá comer nem uma azeitona. Para mim, isso é claro. Então, mesmo que nossa coletividade não tenha fome de autoconhecimento, prossigo praticando e descobrindo o que é ser humano. Eu tenho fome e minha fome me basta. Não pratico autociência para satisfazer a fome dos outros, pratico para satisfazer minha própria fome. O que chega até o outro é efeito colateral da minha fome sendo saciada. É o pão que já produzi, já comi e estou compartilhado.

Da mesma forma que lido com tudo que experimento: com lucidez. Mas talvez sua pergunta seja outra. Talvez sua pergunta seja: “Como você se sente com o reconhecimento do trabalho da 1ficina?”. Eu fico contente. Eu acho que é um trabalho de muita qualidade e eficiência. Então, fico contente quando alguém reconhece isso.

Ninguém é inventor do óbvio, nem da autociência, só dei nome aos bois. Os bois já estavam lá e sempre estarão. Me sinto contente em estar colaborando com o despertar da consciência da coletividade humana, assim como outros que vieram antes de mim e os que virão depois.

Autociência é uma prática. Praticar autociência é descobrir o que é ser humano através da auto-observação e da autoanálise. Autociência é uma palavra que não existe no dicionário, eu que inventei. As disciplinas acadêmicas que mais se aproximam da autociência são a ciência, a filosofia e a psicologia. O objetivo da prática de autociência é produzir autoconhecimento. O objetivo da produção de autoconhecimento, é possibilitar que você faça melhores escolhas, e consequentemente, viva melhor.

Idolatria e antipatia.

Autoconhecimento não se aprende, se desperta. Para produzir autoconhecimento, o aluno precisa praticar autociência e colocar a prova as explicações recebidas. Mas quando o aluno recebe uma explicação, ele tem duas reações:

A) AMÉM! — Idolatria — O aluno acredita nas explicações ao invés de colocá-las a prova.
B) ANÉM! — Antipatia — O aluno renega as explicações ao invés de colocá-las a prova.

Tanto a opção A como a opção B impedem o autoconhecimento.

Por vários motivos, vou citar alguns: 1) O ser humano não tem interesse em despertar a consciência nem pagando. Imagina se tiver que pagar! 2) A 1ficina explica o óbvio e o óbvio não é propriedade minha, é patrimônio da humanidade, então, os proprietários não devem pagar pelo que lhes pertencem. 3) Para que a 1ficina seja para todos. 4) Para que eu possa ser um trabalhador livre. Sendo gratuito, o aluno já se acha no direito de vir me cobrar isso e aqui, imagina se o aluno pagar um centavo!

Aluno é aquele que está em estado de ignorância. Então, todo aluno precisa de um mestre para caminhar pelo autoconhecimento. Não tem como um aluno avançar no autoconhecimento sem um mestre. O que o aluno não entende, e precisa sofrer muito até entender, é que o sofrimento é o mestre. Por isso que as pessoas fogem de mim e da 1ficina. Eu esfrego na cara das pessoas que o sofrimento é o mestre e fico feliz por estarem sofrendo. Para um buscador da felicidade, isso é insuportável. Para um ignorante ilustrado, que acredita que é mestre dos outros, também. O ciclo de estudos Eureka é um estudo de sofrimentologia. Só que sofrimento não dá ibope, então, faço de conta que estou falando de criação de realidade, despertar da consciência, autorrealização, psicologia, relacionamento, outroísmo, autoísmo, etc. Mas é tudo sofrimentologia. Por isso, quando chega a fase de práticas, os poucos que ficaram, fogem também.

Porque sua competência em observar e pensar é pequena. Você foi educado a acreditar e repetir. Nem a escola, nem seus pais, nem ninguém te ensinou a observar e pensar. Difícil é falta de prática. Você não tem prática em observar e pensar. Esse é o motivo da dificuldade.

Porque é fato. E pior! É um fato vergonhoso. Ou você se orgulha de ter um cérebro e não pensar? Mas não cobro que o aluno pense. Quem não quer pensar, quem prefere viver igual um pé de alface, tudo bem, é opção de cada um. Só explico que é preciso pensar porque não tem como entender sem pensar. Entendimento é produto do raciocínio e não da fotossíntese.

A tarefa é a vez de vocês e não a minha. A minha vez foi quando escrevi os livros, essas foram as minhas tarefas. Por isso não interfiro.

Imagine que você está assistindo um filme e toca o telefone, toca a campainha, sua mãe entra conversando na sala, seu irmão liga a guitarra e começa a tocar heavy metal, e assim por diante. Qual será sua assimilação do filme? Será muito baixa. Esse é um dos motivos da minha recomendação. Quanto mais você se distrai com os ruídos que vem de fora, menos você consegue olhar para dentro. Os ruídos do mundo roubam sua atenção. E atenção é vital para prática da autociência.

A maioria das coisas que a 1ficina aponta, você jamais iria enxergar por conta própria. É muito sutil. Dentro de uma frase da 1ficina tem um livro inteiro compactado, igual arquivo de computador. Se você não presta atenção, se o seu pensamento está na novela, no noticiário, no instagram, na inveja, na fofoca, na política, no trânsito, no trabalho, na escola, etc, você fica só no superficial do que está sendo apontado e não assimila nada. E como o ciclo de estudos tem apontamentos novos toda semana, você perde tudo. Quando chega o fim do ciclo, você fica com a sensação de que não fez nada bem feito, nem o ciclo, nem as outras coisas.

Só que tem o ideal de prática e tem o praticante na prática. É raro o praticante que realmente se entrega ao ciclo de estudos com compromisso e foco. 99% dos alunos faz nas coxas e vem aqui em busca de terapia gratuita. O que eu posso fazer? Se é isso que tem para hoje, se é essa a disposição que os seres humanos tem para o autoconhecimento, então, é isso. Só posso fazer minha parte. Recomendar, alertar e oferecer o ciclo de estudos.

Se você está jogando um jogo, mas está inconsciente que você é o jogador, a primeira coisa que você precisa fazer para começar a jogar bem o jogo é ficar consciente que você é o jogador. A função do despertar existencial é essa. A mentalidade materialista mantém o você-ser em estado de ignorância sobre sua identidade de jogador.

O ciclo de estudos EUreka visa ampliar sua competência em praticar autociência. Sem as explicações da 1ficina você demoraria muito tempo para se tornar competente em autoobservação e autoanálise. Terminado o ciclo de estudos EUreka, você tem o mínimo de explicação necessária para desenvolver sua competência. Cada passo do ciclo de estudos é para lhe oferecer o mínimo. Com o mínimo, você mesmo pode e deve chegar ao máximo.

Sim, não sou o único ser humano que praticou autoobservação e escreveu a respeito do que descobriu. Gosto de ler o que outros autores escreveram para saber o que observaram e se observaram o mesmo que eu.

Autociência não ensina como você deve viver, revela como você já está vivendo. Você já vive. E já vive mal. Mas ignora o que é viver e porque vive mal. A prática da autociência deixa óbvio o que é isso que você já faz: viver. E porque faz isso mal (vive mal). Se você não quer descobrir o que é isso que você já faz, viver, tudo bem, não é obrigatório, é opcional. Se você prefere continuar vivendo mal, tudo bem. Viver lúcido é melhor do que viver ignorante. Viver bem é melhor do que viver mal. Mas a função de um instrutor de autociência não é te convencer disso. É apenas te explicar isso.

AULAS

Ouça no Spotify

© 2023 • 1FICINA • Marcelo Ferrari