*Os livros estão na ordem de leitura recomendada.

Diga quem sou | Do que as pessoas são feitas

09/11/2021 by in category Resenhas with 0 and 0

Vou supor que seu nome é Moisés. Imagine que você, Moisés, deita de noite na cama e dorme. Daí, quando você acorda de manhã, quem é você? Ora, você é Moisés, certo? Você dorme Moisés e acorda Moisés. Mas por que você acorda Moisés? Por que você não acorda outra pessoa?

Você dorme Moisés e acorda Moisés porque você dormiu com as memórias de Moisés e acordou acessando as memórias de Moisés.

Agora, imagine que você dormiu Moisés, mas durante a noite você perdeu todas as memórias. Todas, todas, todas. Vazio completo. Daí, você acorda. Quem é você?

Você é ninguém. Você é Mister Nobody. Você é um bebê recém nascido com corpo de adulto.

Agora, imagine que você dormiu Moisés, mas durante a noite sua memória é trocada pela memória de Jesus. Você dorme com memória de Moisés e acorda com memória de Jesus. Quando você acorda, quem é você?

Você é Jesus, sem tirar nem pôr, sem sombra de dúvida. Você sairá de casa, subirá o Monte das Bem-Aventuranças e começará a pregar o sermão da montanha.

Entende do que as pessoas são feitas? Pessoas são feitas de memória. Seu corpo é feito de carne e osso, mas você é feito de memória. Você é a pessoa que sua memória diz que você é. Eu sou a pessoa que minha memória diz que sou. O outro é a pessoa que a memória dele diz que ele é.

Essa é a primeira aula de autociência que o documentário Diga Quem Sou nos oferece: você é feito de memória.

Quando Alex, o gêmeo que perdeu a memória, acorda do estado de coma, ele não se lembra de nada. A memória dele está vazia, completamente apagada. Ele olha para uma mulher na sua frente e não reconhece que é sua mãe. Então, ele se dá conta que não sabe nem quem ele é.

Mas o filme não oferece apenas esse fantástico e verídico testemunho. O gêmeo de Alex, Mark, ajuda o irmão a reconstruir as memórias perdidas recontando a história da vida dele, porém, Mark omite e mente sobre as partes desagradáveis da sua história.

Alex, assim como Mark, tinha motivos de sobra para ter muita mágoa da sua mãe, só que ele não tinha mágoa nenhuma, pelo contrário, tinha afeição, pois ele perdeu as memórias que lhe faziam ter mágoa da sua mãe.

Essa é a segunda aula de autociência que o documentário Diga Quem Sou nos oferece: relembrar é reviver.

Mark vive sentindo mágoa porque ao relembrar das experiências desagradáveis, ele revive essas experiências e ao reviver ele ressente o desagrado. Relembrar é reviver e reviver é ressentir.

Essas são as duas grandes aulas de autociência que o documentário Diga Quem Sou nos oferece. É um documentário imperdível. Se você ainda não assistiu, assista. Se já assistiu e não prestou atenção nisso que falei, assista novamente.

LER MAIS RESENHAS

© 2021 • 1FICINA • Marcelo Ferrari