DEPOIS DA ILUMINAÇÃO

09/02/2016 by in category Textos with 0 and 0

Quando você atinge a iluminação um anjo chato vem conversar com você:

— Ufa! Iluminou! Até que enfim! Agora pode voltar para o inferno!
— Como assim?! Agora sou um iluminado! Anjos, santos e iluminados moram no céu, não é? Além do mais, dei um duro danado para sair do inferno. Tive que matar o materialismo dos cientistas e o catecismo dos religiosos. Tive até que me matar, morrer na carne para ressuscitar em espírito. Você é um anjo, então, perdoe minhas palavras, mas não volto para o inferno nem fodendo! Agora sou um santo, meu lugar é no céu.
— O que você acha que vai fazer aqui no céu? Passar a eternidade tocando harpa e peidando nuvens? Lugar de santo é no inferno.
— No inferno! Você só pode estar de sacanagem comigo!
— O que acontece depois que você estuda medicina?
— Me torno um médico e posso curar os doentes.
— Agora que você sabe o que é ser humano você também pode curar a humanidade.
— Agora entendi! Devo voltar ao inferno para curar os seres humanos.
— Não, você deve voltar a sua humanidade para curar sua humanidade.
— E os outros seres humanos.
— É impossível curar o outro, cada um só tem acesso a si próprio, logo, você só pode curar a si mesmo. Mas você curando a si mesmo gera um efeito colateral chamado “exemplo” que pode ajudar os outros a se curarem também.
— Quer dizer que a gente chega no céu só para voltar para o inferno.
— Exato! É por isso que os iluminados chamam o céu de “vazio absoluto”, não tem absolutamente nada para fazer aqui. Aliás, nem céu tem. O que tem é dois jeitos de viver. Você pode viver mal (infernalmente) ou viver bem (celestialmente). Antes você vivia de um jeito infernal, agora você pode se ensinar a viver bem.
— E se eu quiser ficar aqui no céu? Posso?
— Só se ficar escondido. Mas você vai se esconder de quem, sendo que chegou aqui justamente porque entendeu que tudo é você? E como? Usando folhas de parreira?!! Foi justamente assim que você saiu daqui da última vez e como pode perceber agora, não funcionou.

© 2018 · 1FICINA · Marcelo Ferrari