Como faço para pensar diferente?

14/07/2020 by in category Perguntas tagged as with 0 and 0

Minha resposta para sua pergunta dá um livro. Vou tentar resumir.

Primeiramente, honre ter um cérebro e pense. Ou seja, pare de alimentar sua preguiça mental. Seu cérebro é como um músculo e a única forma de você exercitá-lo é pensando, e pensando, e pensando, sempre e mais. Quanto mais você pensa, mais aumenta sua musculatura mental que é sua capacidade de análise e entendimento. Quando você alimenta sua preguiça mental, sua capacidade de análise e entendimento atrofiam igual qualquer outro músculo do seu corpo.

Você vive dentro de uma bolha de paradigmas equivocados, mas essa bolha não é de sabão que você assopra e ela explode. Sua bolha mental é como uma cebola feita de várias camadas de paradigmas equivocados sobrepostos. Não é com uma análise rasteira e superficial que você descasca seus equívocos. Análise rasteira e superficial, preconceito, crença, senso comum, receita de bolo de caixinha, tudo isso só serve para engrossar as paredes da sua cebola de equívocos e não para descascá-la.

Dito isso, ajuda alheia também é bem vinda. Para tanto, entre em contato com diferentes jeitos de pensar. Pare de alimentar sua cabeça com mais do mesmo. Se você está acostumado a pensar de forma artística, entre em contato com o jeito científico de pensar. Se você está acostumado a pensar de forma religiosa, entre em contato com o jeito ateu de pensar. Se você está acostumado a pensar de forma masculina, entre em contato com o jeito feminino de pensar. E assim por diante.

Saia da zona de conforto mental. Vá atrás de jeitos de pensar que desestruturem suas convicções, que tirem o chão debaixo dos seus pés, que tragam caos para dentro da sua ordem, que tragam o inferno para dentro do seu paraíso de unicórnios e que te façam perder o sono ao invés de dormir. Abrace o ponto de vista inaceitável, a explicação estranha, o jeito de pensar que parece loucura.

Ou seja, desista do certo e erre!

© 2020 · 1FICINA · Marcelo Ferrari