COMO ACABAR COM O SOFRIMENTO?

29/04/2020 by in category Textos with 0 and 0

Buda ensinava que para acabar com o sofrimento devemos nos libertar de nossos desejos. O que você tem para comentar sobre isso?

Primeiramente, não é Buda (Sidarta Gautama) que ensina isso, quem ensina isso são os budistas. O que Sidarta ensinou, só quem foi contemporâneo dele e ouviu da boca dele pode saber. Você já brincou de telefone sem fio? A mensagem original começa com “A grande obra de arte do mestre Picasso” e no final chega “A grande pica de aço do mestre de obras”. Entende? Saiu do autor já começa o ruído da interpretação e do entendimento. Tem muitas pessoas que entendem mal as explicações da 1ficina e começam a dizer que digo isso e aquilo, quando é apenas má interpretação da pessoa. Quando pessoas assim interagem comigo, consigo corrigir o equívoco. É muito comum dizer para uma pessoa assim: “Não coloque palavras na minha boca”. Quando pessoas assim não interagem comigo, fico sem poder corrigir e o equívoco se propaga. Agora, se pessoas contemporâneas minhas, que interagem comigo, fazem isso, imagina o que já não fizeram com os ensinamentos de Sidarta? Grande pica de aço é nada perto do tanto que seus ensinamentos devem estar corrompidos. Dito isso, supondo que Sidarta realmente ensinou que para acabar com o sofrimento devemos nos libertar de nossos desejos, meu comentário é que ele se equivocou. O motivo do meu comentário está na resposta ao resto da sua pergunta.

PERGUNTA: Como acabar com o sofrimento?

É impossível. Sofrimento é você experimentando emoções desagradáveis. Observe isso. Toda vez que você está sofrendo você está experimentando alguma emoção desagradável, como raiva, ou ânsia, ou nojo, ou tédio, etc, por isso você diz que está sofrendo. Quando você está experimentando emoções agradáveis, como alegria, ou paz, ou amor, etc, você chama de felicidade. Você não tem como desligar seu sistema emocional, embora muitas pessoas tentem fazer isso através do uso de medicamentos e drogas. Mas o sistema emocional não é desligável. Então, você sempre irá experimentar emoções desagradáveis, o que significa que você sempre irá experimentar sofrimento. Dito isso, as emoções desagradáveis existem para que você possa ficar consciente que algo está em desacordo com sua unicidade e assim poder optar em acordo com sua unicidade, o problema é que você ignora isso. Mas o sofrimento não é um inimigo que trabalha contra você, é um amigo que trabalha a seu favor. Quem trabalha contra você é você mesmo, quando ignora a natureza, o propósito e o funcionamento do sofrimento.

PERGUNTA: É possível eliminar o desejo?

Você não tem desejo, você é desejo. Esse é o entendimento existencial do desejo, que vem com o despertar existencial. O que você acredita ser seu desejo, como comprar uma roupa, fazer sexo com tal pessoa, comer chocolate, torcer para o flamengo, ter aquele emprego, etc, é você brincando de autorealização em um labirinto de espelhos. Um objeto só é desejado por você quando esse objeto espelha sua unicidade. Ou seja, você deseja o objeto porque deseja a si mesmo. Você só acredita que deseja o objeto em si porque você ignora a função espelho que está acontecendo durante seu relacionamento com o objeto. Se você desperta a consciência, você percebe que o objeto é só um objeto e que o desejo vem do espelhamento. Você percebe o que Chico César observou e expressou na letra da música “De uns tempo pra cá“.

“Coisas são só coisas, servem só pra tropeçar, tem seu brilho no começo, mas se viro pelo avesso são fardo para carregar”. Só que a coisa vai mais longe, porque, por objeto, me refiro a tudo que você, sujeito, se relaciona. Você é um sujeito que está sempre se relacionando com algo, esse algo é o objeto do seu relacionamento. Então, por objeto, me refiro também as pessoas do seu relacionamento, seus pais, seus filhos, seus amigos, seu marido, sua esposa, seu namorado, seu gato, seu cachorro, seu emprego, sua escola, seu partido político, enfim, tudo com o que você se relaciona, não apenas as coisas. Tudo é apenas o que é. Mas se torna importante, valoroso, certo, ou bom para você, conforme espelha sua unicidade (desejo que você é).

Recapitulando, desejo não é humano, é existencial. Sendo assim, eliminar o desejo seria como você deixar de existir. É possível você deixar de existir? Para mim, é óbvio que não. Então, é óbvio que é impossível eliminar o desejo. O que você pode fazer para viver bem, é lidar bem com o desejo. Mas para lidar bem com o desejo é preciso lucidez e maestria. Ignorância não serve. Aliás, só mesmo em estado de ignorância para um ser humano tentar eliminar o desejo. Aliás (2), segundo conta a história, até mesmo Sidarta ficou preso nesse equívoco e foi praticar ascetismo na floresta, a fim de dar fim ao desejo. Até que teve uma EUreka e percebeu a besteira que estava fazendo. E, a partir daí, começou a explicar o que tinha descoberto a duras penas, depois de muito sofrimento. E tudo isso para que? Para os budistas falarem o oposto do que ele descobriu. Imagina? Sidarta deve se revirar no Nirvana e pensar: épacabá!

© 2020 · 1FICINA · Marcelo Ferrari