ARBÍTRIO COM SURPRESA

12/05/2020 by in category Textos with 0 and 0

Como posso ser 100% responsável por outra pessoa?

A palavra responsabilidade pode ter múltiplos significados. Não sei qual significado você está usando. Se a pessoa a que você se refere é um filho, por exemplo, você é legalmente responsável por ele até completar 18 anos. Essa é uma responsabilidade constitucional. Agora, enquanto ser humano, você só pode optar por si, então, você só pode ser responsável por si.

A palavra responsabilidade é a soma de duas palavras: responsa + habilidade. Responsa é responder. Habilidade é capacidade. Responsabilidade é sua capacidade humana de responder as circunstâncias da vida. Porém, nenhum ser humano é capaz de responder pelo outro. Então, é impossível você ser responsável por qualquer outro ser humano além de si mesmo.

Cada ser humano é o único usuário de si, único usuário da própria unicidade. Ninguém é usuário da unicidade do outro. Então, cada um é o único responsável por si.

PERGUNTA: Eu não minto e não gosto de mentira, então, por que estou atraindo gente mentirosa para minha realidade?

A palavra “atraindo” não é uma boa palavra para você entender criação de realidade. É ótima para vender livros, criar misticismo e equívocos, mas péssima para entender criação de realidade. Então, para lhe ajudar no esclarecimento, vou substitui-la por “experimentar”.

Fazendo isso, sua pergunta fica assim:

PERGUNTA: Eu não minto e não gosto de mentira, então, por que estou experimentando gente mentirosa na minha realidade?

A resposta curta, grossa e desagradável, é: porque você está optando por isso. Criação de realidade funciona assim: agora se opta, agora se experimenta. Realidade é efeito do arbítrio. Você pode replicar: “Você está errado, pois eu não opto por conviver com gente mentirosa, pois eu detesto mentira e gente mentirosa”. Ora, mas você opta por conviver com pessoas, não opta? Você dirá: “Sim, opto”. Pois então, pessoas mentem! Entendeu? Ao optar por conviver com pessoas, vem junto tudo que pessoas fazem: respirar, mijar, soltar pum, sorrir e mentir. Opção é kinder ovo, vem com surpresa dentro.

Quando seu carro é roubado, você se pergunta: “Por que meu carro foi roubado? Como atraí isso? Por que estou experimentando essa realidade? Quando foi que optei por isso?”. Você optou por isso quando comprou o carro. Como você poderia ter seu carro roubado se você não tivesse optado por comprar o carro? Não poderia. “Ah, mas eu optei por comprar o carro, não optei por me roubarem o carro!”. Sim, mas vem no pacote da opção de comprar o carro, vem dentro do kinder-carro. Surpreeeeesa!

“Puta merda!” você pensou agora. Pois é! Descupaê, mas é assim que funciona criação de realidade coletiva. Não inventei a brincadeira, só explico como funciona. Agora se opta, agora se experimenta. E mesmo que você opte por uma experiência específica, vem um monte de experiências surpresas e correlatas dentro do pacote. O que nos leva a sua segunda pergunta:

PERGUNTA: Como posso ser 100% responsável por ter a experiência de conviver com pessoas mentirosas como afirma o hoponopono?

Quem executa seu arbítrio é 100% você e mais ninguém. Simples assim. Óbvio assim. Se não quer conviver com pessoas mentirosas, não deve optar por conviver com pessoas, deve optar por conviver apenas com plantas, animais e eletrodomésticos, pois pessoas mentem. Se quer conviver com pessoas que mentem pouco, você pode, por exemplo, fazer uma entrevista com as pessoas candidatas a se relacionarem com você antes de você optar por se relacionar com elas, tipo uma entrevista de emprego. Mas os candidatos podem mentir na entrevista também. Agora já sabe porque, né? Isso mesmo! Pessoas mentem.

© 2020 · 1FICINA · Marcelo Ferrari