AMOR É PLATÔNICO

11/11/2019 by in category Textos tagged as with 0 and 0

Eu amo açaí desde que nos encontramos pela primeira vez numa lanchonete fitness, atrás de uma academia de musculação. Me lembro até hoje da primeira vez que vi aquele mingau roxo numa tigela de porcelana. Foi amor a primeira colherada. Mas por que estou lhe contando sobre meu início de relacionamento com o açaí? Para que você possa entender que todo amor é platônico. Como assim, platônico? Usando meu amor pelo açaí, ficará fácil de explicar e entender.

Meu amor pelo açaí é platônico porque começa e termina em mim. Não é um amor recíproco. É um amor solitário. Amor ímpar. Amor sem correspondência. Eu amo o açaí, mas o açaí não me ama. Como sei disso? Simples! O açaí nunca veio me visitar, nunca escreveu uma carta, nunca me telefonou, nunca curtiu um post meu no facebook, nunca sequer trocou uma palavra comigo. Quando nos encontramos, está sempre com aquele comportamento frio. Tenho certeza que o açaí não me ama e você há de concordar comigo.

Porém, contudo, todavia, eu continuo amando esse ingrato. Já pensei em abandoná-lo. Já pensei em traí-lo com polpa de graviola, sorvete da Häagen-Dazs, etc. Pensei até em raspar gelo e comer com xarope de guaraná. Besteira! Eu amo açaí. Amo, amo, amo. E tudo bem que o açaí não me ame. Meu amor pelo açaí me basta. Não precisa ser recíproco.

Achou engraçado meu amor platônico pelo açaí? Pois saiba que todo amor é platônico. Todo amor começa e termina no próprio amante. O amor recebeu o nome de platônico porque Platão foi o primeiro homem da história a observar o real funcionamento do amor. Amor é desejo. Desejo é atração. Você ama coisas, situações e pessoas por conta própria, independente dessas coisas, situações e pessoas se sentirem igualmente atraídas por você.

Se você ama chocolate, por exemplo, observe que o chocolate não te ama, e nem por isso você deixa de amar o chocolate. Amor platônico. Se você ama futebol, observe que o futebol não te ama, e nem por isso você deixa de amar o futebol. Amor platônico. Se você ama música, observe que a música não te ama, e nem por isso você deixa de amar música. Amor platônico. Se você ama fulano, observe que fulano não te ama, e nem por isso você… Ops!

Pois é! Seu amor pelas pessoas também é platônico. E vice versa. Porém, você só se permite amar quem também te ama. O que é absolutamente inútil, pois se você ama alguém, se proibir de ama-lo não faz com que seu amor desapareça, apenas o aprisiona dentro de uma jaula. Obrigar o amado a lhe amar, também não funciona, apenas cria mais repulsa dele por você.

Todo relacionamento entre seres humanos é um inferno porque ninguém percebe que o amor é platônico. Limitados pela própria ignorância, ninguém tem outra opção senão infernizar a vida um do outro. Você, a partir de agora, já sabe, então, continuar vivendo mal é escolha sua.

© 2018 · 1FICINA · Marcelo Ferrari