Receita da felicidade

10/11/2022 by in category Capitulos, Egogame with 0 and 0

Durante o curso de educação moral e cívica, através dos comandos TEM QUE e NÃO PODE, você vai sendo programado para ser feliz. É bem simples ser feliz. Você não precisa nem pensar. Basta acreditar e seguir as receitas que seus professores lhe imputam. Tem infinitos receitas para ser feliz. Tem receitas religiosos, ateus, quânticos, artísticos, políticos, modernos, pós-modernos, retros, brancos, pretos, amarelos, homossexuais, heterossexuais, capitalistas, comunistas, hippies, pró-culturas, contraculturas, agrícolas, urbanos, sertanejos, punks, norte americanos, sul-americanos, europeus, utópicos, distópicos, off tópicos, cibernéticos, analógicos e etc. Cada receita diz exatamente o que você TEM QUE fazer e NÃO PODE fazer para ser feliz. Não tem erro. É só seguir a receita passo a passo. “Mas por que ninguém vive bem se é simples assim?”, você me pergunta. Além das mentiras sobre o que é possível e impossível, pelos dois motivos que expliquei no capítulo anterior: 1) Você tem vontade própria. E você quer realizar sua vontade e não as receitas que seus educadores imputaram em você. Ou seja, você quer autorrealização e não outrorrealização. 2) “Não pode” é diferente de “não deve”. Então, tudo que é possível no egogame, pode. Você que decide se deve ou não, mas nada é obrigatório nem proibido, tudo é opcional.

© 2023 • 1FICINA • Marcelo Ferrari