OBJETIVO DA FELICIDADE

O fim da busca sem fim

Livro da 1ficina | Marcelo Ferrari

01 | VOCÊ NÃO QUER FELICIDADE

Sei que é estranho ouvir isso. Sei que você tem passado sua vida inteira buscando felicidade. Sei que todos os mestres, gurus, guías espirituais, palestrantes motivacionais, filmes da sessão da tarde, programas de televisão, contos de fada, deus e até o diabo, lhe dizem o oposto do que estou lhe dizendo. Contudo, lhe digo com calma, clareza e solidariedade de quem também já acreditou: você não quer felicidade. E não digo isso porque não quero mais felicidade. Nunca quis. Apenas acreditava que queria, assim como você. Também já habitei essa crença, então, sei bem o quanto é estranho ouvir o que estou dizendo. Porém, mais estranho é você, apesar de tanto esforço, nunca realizar seu objetivo, e só ampliar seu sofrimento nessa busca. Por que isso? Porque felicidade não é objetivo, felicidade tem objetivo. E qual é o objetivo da felicidade? Para que você possa entender isso, primeiro você precisa re-entender o que é ser humano.


02 | SÓ-HUMANO E SER-HUMANO

Não sei qual é sua profissão, vou supor que você seja padeiro. Sendo assim, observe que você, sendo padeiro, não é só-padeiro, você é uma pessoa sendo padeiro (pessoa-padeiro). Você é primariamente uma pessoa, e por ser uma pessoa, pode, secundariamente, ser uma pessoa-padeiro. Se você não existisse, se não fosse uma pessoa, como poderia ser padeiro? Não poderia. Analogamente, o mesmo acontece com o ser humano que você é. Você não é só-humano, você é ser-humano. Assim como você precisa existir, ser uma pessoa, para poder ser padeiro, você precisa pré-existir, ser um ser, para poder ser humano (pessoa).

Você é primariamente um ser, e por isso, você pode, secundariamente, ser-humano, e terciariamente, ser-humano-padeiro, e quaternariamente, ser-humano-padeiro-aposentado, e assim por diante. Essa lógica é simples e fácil de entender, porém, lógica não é suficiente para você transcender a crença de que é só-humano. Para que sua pré-existência se torne evidente para você, é necessário que você se auto-observe. Eis seu desafio solitário. Pois assim como só você pode cheirar, saborear, tatear, ver e ouvir por você, só você pode se auto-observar, então, só você pode se fazer consciente da sua pré-existência. O máximo de ajuda que outro ser pode lhe oferecer, é apontar para sua pré-existência com palavras, perguntas e analogias. É o que vou fazer a seguir.


03 | VOSER E VOCÊ

Ser humano é ser dois-você ao mesmo tempo: voser e você.

Voser = você ser.
Você = voser sendo humano.

Voser causa e experimenta você.
Você é efeito.

Voser cria e experimenta você.
Você é produto.

Essa é a explicação lógica. Mas como disse, lógica não é suficiente para você transcender a crença de que você é só-humano. Sendo assim, vou apontar para voser com uma analogia.

Observe tudo que você está experimentando, externamente e internamente. Observe isso que você chama de realidade. Observe seu meio ambiente, seu corpo, seus pensamentos, sentimentos, emoções, etc. Considere que tudo isso seja um sonho, feito de imaginação, e não de matéria. Seu corpo, a cadeira, o computador, a mesa, esse texto, seus pensamentos, suas emoções, o calor no ambiente, o ar que está respirando, seu pulmão, etc. Considere que absolutamente tudo que você está experimentando seja um sonho. Sendo assim, se pergunte:

Quem é o ser que está sonhando esse sonho que estou experimentando?

A resposta prática e direta, é: O ser que está sonhando esse sonho que você está experimentando é exatamente o mesmo ser que está experimentando.

Constatar o criador e experimentador de tudo que você experimenta é constatar sua pré-existência. Você pode, a partir dessa constatação, nomear sua pré-existência e aplicar lógica. Fazer isso é útil. Ajuda no entendimento da relação causa e efeito entre sua pré-existência e sua existência. Por isso que esse capítulo começou nomeando sua pré-existência e explicando sua relação com você. Re-explicando a lógica inicial, nos termos do exemplo do sonhador, fica assim:

Voser = você sonhador.
Você = sonho humano que voser está sonhando.

Voser sonha você.
Você é sonho.

Aprofundando um pouco mais, se pergunte:

Sendo que sou o sonhador que está sonhando e experimentando esse meu sonho de ser humano, como faço para conhecer o sonhador que sou?

A resposta é que já está fazendo. Nunca deixa de fazer. Sendo que você é o sonho humano que voser está criando e experimentando, então, experimentar é voser se olhando no espelho humano, é voser praticando autoconhecimento. Dito isso, fica fácil entender que a constatação da sua pré-existência, conhecida como iluminação, ou despertar a consciência, não faz voser despertar DO sonho, faz voser despertar NO sonho, faz voser sonhar acordado. Ou seja, despertar não é o fim da brincadeira de ser humano, é o início de um novo jeito de brincar.


04 | JOGO E JOGADOR

A experiência humana é um jogo. Voser é o jogador. Viver é voser jogando o jogo de ser humano. Uma das principais causas do seu mal viver é que você ignora isso. Por ignorar, voser acredita que é um corpo vivendo uma vida, ou seja, que é só-humano. Somado a esse equívoco tem outro, mais sútil ainda. Voser acredita que você é o jogador. Você não é o jogador da experiência humana, você é sua experiência humana. O jogador é voser.

Você é efeito. Você é o produto atualizado do que voser está causando. Pense em um jogo de vídeo game. Voser é o jogador olhando para tela e manuseando o joystick. Você é a imagem na tela. O que voser vê na tela é você vivendo uma vida humana. Porém, voser está acreditando que é só-você. Por isso surge a crença de que a vida que você está vivendo é um acontecimento aleatório e sem causalidade própria.

Voser sofre. O sonho vira um pesadelo. Mas como voser está acreditando que é só-você, voser tenta fugir do pesadelo entrando em algum porão no pesadelo, ou bebendo pinga, ou quebrando os pratos, ou comendo chocolate, ou assistindo televisão, ou lendo a biblioteca de Alexandria, etc.

Mas até fugir é uma jogada a seu favor. A experiência humana é um jogo que sempre leva voser ao êxito. Tudo que voser experimenta, bom ou mal, tem apenas essa serventia. Inclusive seu equívoco de acreditar que voser é só-humano. Afinal, se voser não acreditasse que é só-humano como poderia obter êxito em descobrir que é um ser-humano?


05 | OBJETIVO DO JOGO

Todo jogo tem objetivo. Sendo que a experiência humano é um jogo, qual é o objetivo? O objetivo da experiência humana é viver em auto-realização. O que é auto-realização? Auto-realização é justa equivalência. O que é justa equivalência? Justa equivalência é quando a parte causal de um sistema corresponde a parte consequencial (efeito). Ou seja, justa equivalência é quando causa = efeito. O sistema “colocar a mão no fogo = queimar a mão”, por exemplo, é um sistema de justa equivalência, pois a parte causal do sistema de fato equivale a parte consequencial. Outro exemplo de justa equivalência é quando você se olha no espelho, a imagem que você vê é sua justa equivalência visual. Dito isto, a próxima pergunta a ser respondida é: como a auto-realização funciona na experiencia humana?


06 | REALIZANDO O OBJETIVO

Vamos supor que você esteja procurando fotografia de cachorro no google. Você digita “c-a-c-h-o-r-r-o”, aperta enter e surgem centenas de fotografias de elefantes na tela do seu computador. Imediatamente você conclui que o google errou, não é? Mas por que? Onde está o erro? Está no que você digitou? Não. Está nas imagens na tela? Também não. As imagens são certamente as imagens que são. Onde está o erro, então?

Está na INjusta equivalência. O que você digitou no google não equivale ao que você está vendo na tela. C-a-c-h-o-r-r-o ≠ Elefante. Ou seja, você conclui que o google errou comparando ATUALidade e IDEALidade. IDEALidade é a realidade que você quer realizar, é realidade IDEAL. ATUALidade é a realidade que você está realizando, é realidade ATUAL. Você digita c-a-c-h-o-r-r-o no google porque você quer realizar fotografia de cachorro (realidade IDEAL), só que o google não realiza seu ideal, o google realiza elefante. Você compara ATUALidade com IDEALidade e conclui que: ATUAL ≠ IDEAL. Daí você diz: O google errou!

Analogamente, o mesmo acontece com voser e você.

VOSER é você-IDEAL
(pré-existência original e sem-forma – causa).

VOCÊ é você-ATUAL
(existência atualizada e humanizada de voser – efeito).

A experiência humana é um jogo.
O objetivo é auto-realização, ou seja: ser humano.

Sendo assim:

Auto-realização é:
Você acertado com voser.
Você ajustado com voser.
Você sendo voser.
Você = voser

Auto-fracasso é:

Você des-acertado com voser.
Você des-ajustado com voser.
Você não sendo voser.
Você ≠ voser


07 | CEGO JOGANDO BARALHO

Sendo que o objetivo do jogo humano é voser = você, então, é bem simples realizar esse objetivo, basta voser viver sendo você e pronto! Sim, é simples assim. Mas quem é voser? Voser sabe quem voser é? Eis o desafio de ser humano. O objetivo de ser humano é voser viver sendo você, porém, voser deve fazer isso ignorante de si. Já não é tão simples assim, né? Viver em auto-realização ignorante de si, é igual cego jogando baralho. Como um cego pode jogar bem baralho? Impossível? Sim, seria impossível, se não fosse por um pequeno detalhe: você.

Imagine que voser é um cego jogando baralho. Voser não enxerga as cartas na sua mão, nem as cartas na mesa, nem a mesa, voser não enxerga nada. Então, voser não tem a menor noção de qual é a melhor jogada (melhor opção). Porém, voser pode tocar as cartas na sua mão, e ao toca-las, voser experimenta desejo. São desejos variados, porém, que se dividem em dois tipos: quero e não-quero. A princípio, voser não entende porque sente desejo, mas voser começa a perceber que toda vez que opta e executa uma opção que voser quer, voser experimenta emoções agradáveis, que voser chama de felicidade, e toda vez que voser opta e executa uma opção que não quer, voser experimenta emoções des-agradáveis, que voser chama de in-felicidade. Como voser prefere felicidade, voser opta sempre pelas opções que quer. Como as opções que voser quer coincidem sempre com as melhores jogadas, é assim que voser, mesmo cego, consegue jogar bem um jogo de baralho.

Analogamente, é assim que voser consegue viver em auto-realização, mesmo sem saber quem voser é. Voser está usando um infalível mecanismo de opção chamado: você. Este mecanismo tem dupla função, lhe aconselhar antes de optar e lhe dar um feedback depois de optado, para que voser sempre possa re-optar melhor no próximo instante do jogo. O aspecto de você que lhe aconselha antes de optar é o desejo. O aspecto de você que lhe dá o feedback sobre o optado é a emoção. Voser é o jogador. O optador. Por isso que voser experimenta você.

Entendido isso, já podemos entender qual é o objetivo da felicidade.

O objetivo da felicidade é lhe ajudar a viver em auto-realização.

Bom jogo para voser.

© 2017 · 1FICINA · Marcelo Ferrari