MAN MASTER

O desafio de viver bem

Livro da 1ficina | Marcelo Ferrari

01 | VIVER BEM É PARA MESTRES

Imagine que você é um jogador de futebol. Quando você executa bem seu futebol, o que você experimenta é futebol bem executado, quando você executa mal seu futebol, o que você experimenta é futebol mal executado. Imagine que você é um pianista. Quando você executa bem tocar o piano, o que você experimenta é música bem executada, quando você executa mal tocar o piano, o que você experimenta é música mal executada. Você é um ser humano. Quando você executa bem seu viver, o que você experimenta é bem viver, quando você executa mal seu viver, o que você experimenta é mal viver.

Quando você executa bem uma atividade, você experimenta a boa execução que você está executando, quando você executa mal uma atividade, você experimenta a má execução que você está executando. Você está sempre experimentando seu nível de execução, seja que atividade for.

Ninguém vive bem por acaso, milagre ou destino. É por isso que viver bem é só para mestres. Viver bem é maestria em ser humano. Assim como é preciso maestria na execução do futebol para se experimentar futebol bem executado, assim como é preciso maestria na execução do piano para se experimentar música bem executada, também é necessário maestria em ser humano para experimentar bem viver. Querer viver bem é o primeiro passo, mas entre o primeiro passo e viver bem há uma longa jornada até a maestria.


02 | MESTRE DO MAL VIVER

Você já é mestre. Você é mestre em viver mal. Sua maestria em viver mal é tanta, mas tanta, que você vive mal sem sequer precisar pensar para viver mal. Ou seja, sua maestria em viver mal é uma competência subconsciente. Por isto, não importa o tanto que você queira viver bem, pois enquanto viver mal for uma competência subconsciente, sua própria competência subconsciente em viver mal lhe fará retornar repetidas vezes ao mal viver.

Agora vamos à boa notícia! Foi você que se ensinou a viver mal, então, você pode igualmente se re-ensinar a viver bem. Você pode. Mas assim como a construção da sua maestria em viver mal não aconteceu num passe de mágica, mas surgiu gradativamente com sua prática em viver mal, a construção da sua maestria em viver bem também não acontece em um passe de mágica, também surge gradativamente com sua prática em viver bem.


03 | MESTRE DE SI

Só há bem e mal onde há desejo. É a presença do desejo em você que cria em você o bem e o mal. Negar o desejo não elimina o bem e o mal, pois negar o desejo não elimina o desejo, pelo contário, apenas o deixa evidentemente negado. Você é um ser inevitávemente desejante. Você quer, deseja, e por ser assim, e por ser sempre assim, você tem sempre duas opções a cada instante: viver de BOA vontade ou viver de MÁ vontade. Quando você vive de BOA vontade, o que você experimenta é exatamente o que você está executando: você vivendo de BOA vontade. Quando você vive de MÁ vontade, o que você experimenta também é exatamente o que você está fazendo: você vivendo de MÁ vontade. Não tem segredo. A qualidade do seu viver é proporcional à sua maestria em ser humano e sua maestria em ser humano é proporcional à sua maestria em viver de BOA vontade. Ou seja, quanto mais você vive como quer, melhor você vive.


04 | DIDÁTICA DA OPOSIÇÃO

Você é seu próprio mestre. Sempre. Não tem como ser outro, pois não há professor que possa aprender pelo aluno. Aprender pelo outro é impossível. Aprendizagem é sempre individual e o processo de maestria é o processo de aprendizagem. É você, e só você, quem pode se ensinar a bem viver. Assim, você é simultaneamente mestre e discípulo de si mesmo.

E qual é a didática que você usa para ensinar você a viver bem? Por mais contraditório que possa parecer, a didática que você usa para se ensinar a viver bem é o mal viver. Isto mesmo! Você se ensina a viver bem através da Didática da Oposição.

Quem mais poderia lhe ensinar sobre o bem senão o mal? Como você poderia aprender a não mais colocar a mão no fogo se não fosse se queimando? É tomando consciência do que lhe faz mal que você se ensina o que lhe faz bem. É tomando consciência do in-desejado que você se ensina o desejado. É tomando consciência do falso, do desimportante, do ruim e do prejudicial para você, que você se ensina o que é verdadeiro, importante, prazeroso e benéfico para você. Ou seja, viver mal é você se ensinando a viver bem.


05 | EM E SEM

Fisiologicamente falando, você pode estar:

01) EM homeostase (saudável)
02) SEM homeostase (doente)

Psicologicamente falando, você pode estar:

01) EM acordo com você (integrado)
02) SEM acordo com você (desintegrado).

Quando você vive EM homeostase, você experimenta bem estar, quando você vive SEM homeostase, você experimenta mal estar. Analogamente, quando você vive EM acordo com você, você experimenta alegria, paz, entusiasmo, amor, ou seja, felicidade. Quando você vive SEM acordo com você, você experimenta tristeza, pânico, ódio, depressão, ou seja, sofrimento.


06 | PROFESSOR PARTICULAR

Viver mal é você se ensinando a viver bem. A didática que você usa para isso é a Didática da Oposição. O sistema de avaliação que você usa para tomar consciência do seu nível de aprendizagem é seu sistema emocional. Felicidade não é objetivo, é indicativo de aprendizagem. Seu objetivo na experiência humana é se tornar mestre em viver bem. Felicidade é um feedback emocional positivo que você se dá para se informar que está realizando seu objetivo. Sofrimento é o oposto. É um feedback emocional negativo que você se dá para se informar que está fracassando em seu objetivo. Seu sistema emocional é uma bússola infalível. Sem ele seria impossível você caminhar de forma autônoma pelo seu processo de maestria. Felicidade e sofrimento são os ponteiros da sua bússola. Este entendimento revoluciona sua forma de viver, pois transforma seu maior inimigo, o sofrimento, em seu maior aliado e professor particular do bem viver.


07 | SEDE DE VOCÊ

Assim como andar bem de bicicleta é resultado da sua maestria em se manter em equilíbrio, viver bem é resultado da sua maestria em se manter vivendo em acordo com você, em boa vontade. O que acontece é que isso não acontece. Você quer, quer, quer, quer, quer, porém, você não, não, não, não, não realiza o que você quer, quer, quer, quer, quer, quer.

Imagine que você está com sede, mas você não, não, não, não realiza sua vontade de beber água, o que acontece? Sua sede diminui? Você consegue pensar em outra coisa senão beber água? Claro que não! Sua sede aumenta cada vez mais, você começa a passar mal e só consegue pensar em realizar sua vontade: beber água.

O mesmo acontece quando você não, não, não, não vive de BOA vontade. Seu desejo aumenta cada vez mais e você começa a sofrer mais também. Sofrimento é você com sede de você. A solução para você sair do mal estar da sede é simples, basta você realizar sua vontade de beber água, a solução para você sair do sofrimento também é simples, basta você viver em acordo com sua vontade.


08 | OBJETIVO E OBJETO

Você tem quatro e apenas quatro desejos. Sendo que desejo é o que você quer, e sendo que o que você quer é seu objetivo, podemos dizer que você tem quatro e apenas quatro objetivos:

OBJETIVO RACIONAL – Você quer vero e não quer falso (Incerteza).
OBJETIVO AFETIVO – Você quer valor e não quer desvalor (Insignificância).
OBJETIVO SENSORIAL – Você quer bom e não quer ruim (Insatisfação)
OBJETIVO FÍSICO – Você quer bem e não quer mal (Impermanência).

Desenvolver a máxima competência em lidar bem com esses quatro desejos, é você se fazendo mestre em viver bem. Dito isto, você pode estar se perguntando: “Mas por que experimento diversos desejos, se todos são apenas quatro?”. A resposta é que você não experimenta diversos desejos, você experimenta sempre os mesmos quatro desejos com diferentes roupagens.
Você experimenta sempre os mesmos quatro OBJETIVOS refletidos em diferentes OBJETOS.

Pergunte a si mesmo “Por que desejo isto?”. Seja um carro, uma pessoa, uma profissão, uma comida, um prêmio, uma situação, uma viagem, um evento, etc, isto que você deseja, só é um OBJETO DE DESEJO para você, porque reflete algum dos seus quatro OBJETIVOS.

Viver consciente, lúcido, sabedor de que objeto não é objetivo, de que os objetos apenas espelham seus quatro objetivos, é fundamental para viver bem.


09 | QUATRO MAESTRIAS

Você está constantemente se fazendo mestre em quatro matérias: incerteza (racionalidade), insignificância (afetividade), insatisfação (sensorialidade) e impermanência (fisicalidade).

IINCERTEZA é multiplicidade de certezas (verdades). Maestria RACIONAL é quando você se torna competente em lidar com a multiplicidade de verdades.

INSIGNIFICÂNCIA é multiplicidade de valores. Maestria AFETIVA é quando você se torna competente em lidar com a multiplicidade de valores.

INSATISFAÇÃO é multiplicidade de gostos. Maestria SENSORIAL é quando você se torna competente em lidar com a multiplicidade de gostos.

IMPERMANÊNCIA é multiplicidade de estados. Maestria FÍSICA é quando você se torna competente em lidar com a multiplicidade de estados.


10 | MESTRE DA CRIATIVIDADE

Você nasce, cresce e morre tendo os mesmos quatro desejos a cada instante da sua experiência humana: certeza, afeto, satisfação e bem estar. Seus quatro desejos são seus quatro objetivos e não mudam nunca. O que você pode e deve mudar, quantas vezes for necessário, são suas estratégias de realização.

Ou seja, sua maestria para viver bem não consiste em ampliar sua competência em querer. Sua competência em querer é permanente e imutável. Sua maestria para viver bem, consiste em ampliar sua competência na criação de estratégias de realização cada vez mais eficientes. Você é um criador. Todos os seres são criadores. Atualmente você é um ser humano, então, você está praticando criatividade humana. Viver mal é ruim, mas é você se ensinando a criar melhor e viver melhor.

Boa caminhada rumo sua maestria.

© 2017 · 1FICINA · Marcelo Ferrari