LIVRE CLICK

Sobre liberdade e livre-arbítrio

Livro da 1ficina | Marcelo Ferrari

01 | LIBERDADE É LIMITE

Liberdade é limite. Mas atenção, pois não estou dizendo que liberdade “tem” limite, estou dizendo que liberdade “é” limite. Assim como seis é meia dúzia, liberdade é limite.

Seis e meia dúzia são duas palavras diferentes, mas que entendemos como sendo de igual significado, ou seja, sinônimos. Limite e liberdade são duas palavras diferentes, mas que entendemos como sendo de significados opostos, ou seja, antônimos.

Este é o único obstáculo para entender o que é liberdade. Segundo nosso entendimento habitual, a afirmação de que liberdade é limite, é absurda, é o mesmo que afirmar que aberto é fechado, que seco é molhado, que calor é frio, etc. Segundo nosso entendimento habitual, liberdade = limite é uma contradição.

Significado funciona por antônimos. É impossível entender aberto senão como antônimo de fechado,  seco senão como antônimo de molhado, calor senão como antônimo de frio, e liberdade senão como antônimo de limite. Este é o problema de igualar liberdade com limite, liberdade fica sem antônimo, e por ficar sem antônimo, fica sem sentido, sem significado, sem entendimento.

Igualar liberdade com limite, não faz com que liberdade perca o significado, faz com que mude de significado. Igualar liberdade com limite também não faz com que liberdade perca o antônimo, faz com que mude de antônimo. Sendo que liberdade é limite, o antônimo de liberdade é o mesmo antônimo de limite: ilimitado, infinito.

O benefício de entender que liberdade é limite é o mesmo de entender que meia dúzia é seis. Imagine se você acreditasse que meia dúzia é antônimo de seis. Analogamente, toda nossa dificuldade em entender a questão da liberdade e as questões derivadas da liberdade, vem do nosso entendimento habitual de que liberdade é antônimo de limite. Este equívoco é a raiz da dificuldade. Entender que liberdade é limite é a raiz da solução. Vamos ver alguns exemplos para deixar isso evidente:

Qual é seu limite de crédito bancário?
Vamos supor que seja 10 centavos.
Você tem liberdade para gastar 1 centavo além?
Não tem! E por que não tem?
Porque liberdade é limite.

Qual é seu limite de visão?
Vamos supor que seja 500 metros.
Você tem liberdade para enxergar 1 milímetro além?
Não tem! E por que não tem?
Porque liberdade é limite.

Qual é seu limite de camisas?
Vamos supor que duas: uma branca e outra preta.
Você tem liberdade de vestir uma camisa azul?
Não tem! E por que não tem?
Porque liberdade é limite.

Qual é o limite do seu corpo?
Exatamente o corpo que você tem.
Você tem liberdade para ter corpo além do seu corpo?
Não tem! E por que não tem?
Porque liberdade é limite.

Está evidente que liberdade é limite? Se ainda não estiver, sugiro que continue investigando, até ficar evidente. Para você mudar seu entendimento, não basta informação teórica, é necessário constatação direta, é necessário que você evidencie por si mesmo.


02 | LÂMPADA DE ALADIM

Imagine que você é Aladim e acabou de encontrar a famosa lâmpada. Você esfrega a lâmpada e o gênio lhe diz: “Seu desejo é uma ordem”. Usando esta metáfora, qual é o tamanho da sua liberdade? Ou seja, qual é seu limite de opções?

Uma vez que você pode pedir o que quiser, sua resposta provavelmente é que você não tem limite de opções, que seu  limite é ilimitado. Você pode pedir um palito de dente, duzentos carros, mil canetas Bic, uma máquina de fazer dinheiro, um tapete voador, etc. Você também pode pedir para o gênio transformar um elefante em uma ervilha ou dar nó em pingo d’água. Enfim, você pode pedir qualquer coisa, logo, parece evidente que suas opções de pedido são infinitas, e assim, parece evidente que sua liberdade é infinita.

Acreditar que sua liberdade de opções é infinita, é quase inevitável, mas é um equívoco, pois por mais criativo que você seja para imaginar opções, sua liberdade de opções não tem como ir além da sua imaginação.

Liberdade é do tamanho da imaginação. Seu limite de opções é do tamanho da sua imaginação. Então, sua liberdade é do tamanho da sua imaginação. Você pode pedir ao gênio qualquer opção que conseguir imaginar, mas é incapaz de pedir algo que não consegue imaginar.


03 | NATUREZA DA LIBERDADE

O entendimento de que liberdade é limite e de que o tamanho da sua liberdade é sua imaginação, tem várias implicações de natureza coletiva e particular. Por exemplo:

IMPLICAÇÕES COLETIVAS

Sendo que sua imaginação é humana, sua liberdade também é humana.
Sendo que sua imaginação é inconstante, sua liberdade também é inconstante.
Sendo que sua imaginação é imprevisível, sua liberdade também é imprevisível.

IMPLICAÇÕES PARTICULARES

Sendo que imaginação é particular, liberdade também é particular.
Sendo que sua imaginação é diferente da imaginação do outro, sua liberdade também é diferente da liberdade do outro.


04 | LIVRE CLICK

Liberdade é uma coisa e livre arbítrio é outra. Vamos usar outra metáfora para entender isso.

Sendo que sua liberdade é do tamanho da sua imaginação, vamos fazer de conta que sua liberdade seja um navegador de Internet (Explorer, Firefox, Chrome, Safari, ou outro similar). Usando essa metáfora, o que é liberdade e o que é livre arbítrio? Liberdade são todas as opções que tem na tela do seu navegador. O que é livre arbítrio? É clicar.

Liberdade é opções. Livre arbítrio é optar. É por isto que livre-arbítrio é sempre 100%. Não importa se sua liberdade é de mil, um milhão, ou apenas duas opções, em qualquer caso, em qualquer limite, em qualquer liberdade, seu livre arbítrio é sempre o mesmo: optar.

Livre arbítrio é livre click. Não tem meio click. Click é sempre 100%. E não adianta dizer: “Eu cliquei por hábito, fui condicionado a clicar, logo, não cliquei, não optei”. Claro que optou. Tanto optou que experimentou a opção optada.


05 | CLICK A CLICK

Liberdade é limite, é opções. Livre arbítrio é livre click, é optar. A motivação do seu click é seu desejo. A 1ficina explica o desejo humano no livro QUATRIX, entre outros. A razão de uma opção resultar em viver bem ou viver mal é a qualidade da opção. Uma opção pode ser Autoísta ou Outroísta. Opção Autoísta resulta em viver bem, opção Outroísta resulta em viver mal. A 1ficina explica sobre Autoísmo e Outroísmo nos livros EGOGAME, entre outros.

© 2017 · 1FICINA · Marcelo Ferrari